Michel Temer assumiu a presidência do Brasil em meio a uma das piores crises econômicas da história do país. Desde então, seu governo tem se concentrado em impulsionar a economia através de uma série de reformas e medidas impopulares. Neste artigo, vamos examinar algumas das principais apostas do governo Temer e analisar suas consequências.

Uma das primeiras medidas do governo foi a PEC do Teto de Gastos, que estabeleceu um limite para o crescimento dos gastos públicos pelos próximos 20 anos. A medida foi vista como uma tentativa de conter o déficit público e acalmar os mercados, mas também foi criticada por muitos que argumentavam que ela poderia limitar severamente o investimento em áreas importantes, como saúde e educação.

Outra grande aposta do governo foi a reforma trabalhista, que foi aprovada em 2017 e alterou significativamente as leis trabalhistas do país. A reforma reduziu os direitos dos trabalhadores e facilitou a terceirização, o que foi bem recebido por alguns empresários, mas criticado pelos sindicatos e organizações trabalhistas.

O governo também iniciou uma reforma da Previdência que buscava reduzir os custos do sistema, mas que falhou em obter apoio suficiente no Congresso e acabou sendo arquivada. Ainda assim, a iniciativa foi vista como uma tentativa importante de enfrentar um dos principais desafios do país: o envelhecimento da população e o aumento dos gastos sociais.

Além disso, o governo Temer promoveu uma série de privatizações e reformas no setor de energia elétrica, incluindo a venda de ativos da Eletrobras e a renovação das concessões de hidrelétricas. Essas medidas foram vistas como uma forma de atrair investimentos estrangeiros e melhorar a eficiência do setor.

No entanto, a maioria dessas medidas tem sido contestada por vários setores da sociedade. As reformas trabalhista e da Previdência foram criticadas como sendo prejudiciais aos trabalhadores, enquanto a venda de ativos estatais foi vista como uma ameaça à soberania do país. Além disso, muitas pessoas acham que essas medidas não têm abordado os problemas fundamentais do país, como a falta de investimento em infraestrutura e a desigualdade social.

Ainda assim, é possível dizer que o governo Temer teve alguns resultados positivos. A economia brasileira voltou a crescer depois de vários anos de recessão, e a inflação tem se mantido baixa. Além disso, o país tem atraído mais investimentos estrangeiros e a bolsa de valores atingiu um recorde histórico. No entanto, muitos brasileiros ainda lutam para encontrar emprego e superar a pobreza.

Em conclusão, as políticas econômicas do governo Temer têm sido controversas e são objeto de intenso debate. Algumas pessoas acreditam que as reformas podem revitalizar a economia, enquanto outras acham que elas prejudicam os trabalhadores e os mais pobres. A verdade é que o Brasil ainda tem muitos desafios pela frente e vai demorar algum tempo para que o país se recupere completamente da crise atual.